quarta-feira, 19 de março de 2014

Solenidade de São José, Patrono da Igreja

Hoje a Igreja celebra a solenidade de São José. No Carmelo temos uma especial devoção ao Santo, incentivada por Santa Teresa que em sua primeira fundação o teve como patrono. 


"Tomei por advogado e senhor o glorioso São José, encomendando-me muito a ele. Vi com clareza que esse pai e senhor meu me salvou, fazendo mais do que eu podia pedir, tanto dessa necessidade como de outras maiores, referente à honra e à perda da alma. Não me lembro até hoje de ter-lhe suplicado algo que ele não tenha feito. Espantam-me muito os grandes favores que Deus me concedeu através desse bem-aventurado Santo, e os perigos, tanto do corpo como da alma, de que me livrou." (Santa Teresa de Jesus. Vida 6, 6)

"As pessoas de oração, em especial, deveriam ser-lhe afeiçoadas; não sei como se pode pensar na Rainha dos Anjos, no tempo em que tanta angústia passou com o Menino Jesus, sem se dar graças a São José pela ajuda que lhes prestou. Quem não encontrar mestre que ensine a rezar tome por mestre esse glorioso Santo, e não errará o caminho."(Santa Teresa de Jesus. Vida 6,8)
 

segunda-feira, 17 de março de 2014

sábado, 15 de março de 2014

segunda-feira, 10 de março de 2014

Quaresma

Iniciamos o tempo de Quaresma em preparação para a Páscoa. Neste tempo somos chamados à conversão, a buscar a Deus com maior intensidade. Momento ideal para o recolhimento, buscar a unidade dentro de nós mesmos, refletindo sobre o que há em nosso íntimo. Limpar o coração e tirar os entulhos que limitam o amor. É tempo de silenciar nosso interior e escutar a voz de Deus.

Quaresma é tempo de vencer a tentação do ter. Como nos exortou o Papa Francisco em sua mensagem: “A Quaresma é um tempo propício para o despojamento; e far-nos-á bem questionar-nos acerca do que nos podemos privar a fim de ajudar e enriquecer a outros com a nossa pobreza”.  


Lutemos também para vencer a tentação do poder. Nossa resposta se dá pela humildade que desconfia de suas forças e capacidades para confiar inteiramente em Deus e abandonar-se em seus braços.  E pelo amor mútuo, pela caridade, podemos vencer a tentação do prazer. Deixamos de satisfazer as nossas necessidades e prazeres para nos preocuparmos com os outros e suas necessidades.